← Voltar para o blog

Guia da Programação Funcional: saiba tudo sobre o conceito e como aplicar

Guia da Programação Funcional: saiba tudo sobre o conceito e como aplicar

Os paradigmas são utilizados para classificar linguagens de programação e a forma de estruturar e executar os programas a partir delas. Nos últimos anos, além da programação orientada a objetos e a programação imperativa, que são bastante comuns entre os programadores, vem ganhando espaço a programação funcional.

Esse paradigma se difere muito dos demais por ser baseado em funções matemáticas puras. Mesmo sendo muito diferentes, ele pode ser uma excelente ferramenta para a diminuição de problemas no código, além de muitos outros benefícios.

Quer saber mais sobre esse assunto? Prossiga com a leitura até o fim e descubra o que é programação funcional, quais seus fundamentos, benefícios, e como aplicá-los no dia a dia!

O que é programação funcional?

Em linhas gerais, programação funcional é um paradigma de programação em que são utilizadas funções para criar blocos de construção de códigos, e assim, resolver problemas. Mas o que isso significa, afinal? Vamos explicar por partes.

Ao contrário de outros paradigmas, essa tem como característica principal a utilização de múltiplas funções independentes, pensando no sentido matemático do termo. Por isso, o valor da saída dependerá apenas da entrada, e nunca de outra parte remota do código.

No artigo Programação Funcional CC, de Maria João Fraude, ela usa o seguinte exemplo para comparar de maneira bastante simples uma linguagem orientada a objetos e outra funcional:

Imagem: Programação Funcional CC – Maria João Fraude/Reprodução

No primeiro caso, por se tratar de uma linguagem imperativa (C), a instrução i=i+1 é uma atribuição, e o valor de i é redefinido durante a equação. Já no segundo (Haskell), o sinal de igual (=) é usado justamente para indicar que uma parte da equação é idêntica à outra, portanto, não pode haver variação, e elas devem ser sempre iguais.

Embora a programação funcional venha ganhando fama nos últimos anos entre os desenvolvedores, ela é baseada em conceitos muito antigos, como cálculo Lambda, proposto por Alonzo Church durante a década de 1930, e até mesmo linguagens de programação como Lisp e Alp, que datam da década de 1960.

Características da Programação Funcional

Além da utilização de funções, a programação funcional tem algumas características importantes que devem ser ressaltadas. Abaixo, elencamos cada uma delas e detalhamos mais a fundo.

Funções puras 

A programação funcional opera apenas por meio de funções puras, ou seja, aquelas que não dependem de dados globais do programa, e que, ao passar um mesmo parâmetro retornam sempre o mesmo resultado.

Imutabilidade

Como mencionamos, nenhuma variável em um código utilizado na programação funcional passa por mudanças, ou seja, ao ser carregada no código, ela deve manter o mesmo valor durante toda a execução. Esse princípio se chama imutabilidade.

Caso necessário utilizar a mesma variável em outro ponto do código, porém para outra função, é necessário criar uma cópia para essa finalidade.

Assinatura Awari | Cursos Programação

Sem estados (Stateless)

Todas funções que devem se comportar sem estados, ou seja, após executadas, elas devem retornar como fosse a primeira vez que fossem utilizadas. Tudo o que rodou antes da chamada não deve ter influência nas execuções posteriores, e não existem loops.

Quais linguagens utilizam programação funcional?

A programação funcional pode ser utilizada tanto em linguagens específicas para isso, quanto em linguagens multiparadigma, em que o próprio programador pode escolher o paradigma que quer utilizar.  Confira abaixo as linguagens de programação funcional:

Javascript

Muito utilizado em todo o mundo, essa é uma linguagem que aceita múltiplos paradigmas. Para aplicar a programação funcional ao Javascript, você precisa dominar seus principais conceitos, como a composição de funções. 

Haskell

Quando se fala em programação funcional, uma das linguagens mais populares é a Haskell, que trabalha apenas com este paradigma. Com ela, é possível facilitar muito a escrita e a manutenção de códigos extensos. Para programar, você precisa apenas de um editor de texto e um compilador Haskell.

Clojure

Para quem está acostumado a utilizar Java, o Clojure pode ser um bom substituto, já que ele é adequado aos mesmos ambientes e funciona com bibliotecas Java, porém de forma totalmente funcional, utilizando dados imutáveis e sistemas dinâmicos. 

Elixir

O Elixir é uma linguagem de programação brasileira, e funciona por meio de processos isolados que se comunicam. Atualmente, há uma grande quantidade de adeptos que têm formado uma comunidade e popularizado sua utilização.

Quais as vantagens da programação funcional?

Você pode estar se perguntando: “Mas se eu já programa em outro paradigma, por que estudar programação funcional?” A verdade é que há muitas razões para isso, principalmente porque esse tipo de programação traz uma série de diferenciais.

Em primeiro lugar, mesmo sem um pouco complicado de compreender na teoria, na prática, a programação funcional é capaz de criar programas completos com códigos bem menores que em outros paradigmas.

Além disso, ela possibilita que muitos erros sejam evitados ainda durante a compilação do produto, e não cheguem à etapa de execução. Como as funções são imutáveis, é mais fácil identificar onde está o problema e corrigi-lo, e isso acelera o desenvolvimento de softwares e diminui os custos.

A programação funcional pode diminuir o tamanho dos códigos e evitar erros durante a etapa de compilação.

Esse paradigma também tem sido utilizado por grandes empresas, como Nubank, Twitter, AT&T e até mesmo algumas partes do Facebook e do Google, e difundidas em plataformas como GitHub e Stack Overflow. Isso tem inspirado outras companhias a buscar soluções com essas ferramentas, e a programação funcional tem expandido sua influência.

Por fim, vale lembrar que a Programação Funcional tem uma base matemática, assim como os bancos de dados. Esse fator pode transmitir uma confiabilidade, já que a matemática é um modelo de padrão exato e imutável, enquanto outras linguagens são baseadas em questões que podem mudar com o decorrer do tempo.

Como aprender programação funcional

A programação funcional tem ganhado espaço entre os programadores, e por isso, vale a pena aprendê-la! Para isso, antes é necessário que você tenha um bom entendimento sobre funções matemáticas e seu uso, pois isso será a base para a escrita dos códigos. Além disso, é essencial que você faça um bom curso de Front-End
Na Awari Code, você encontra uma Trilha de Aprendizagem de Programação com os principais cursos sobre o tema, essenciais para quem quer dar o próximo passo na carreira profissional. Além das aulas gravadas, o aluno ainda pode participar de turmas com aulas ao vivo e mentorias individuais com profissionais da área. Clique aqui e saiba mais!

Escrito por

Avance sua carreira

e cuide do seu futuro

Esse é o momento para investir em seu futuro e dar seu próximo passo profissional. Comece agora e crie sua conta na Awari:

Começar agora