← Voltar para o blog

Desenvolvedor Front-End: O Guia Completo para começar a programar

Desenvolvedor Front-End: O Guia Completo para começar a programar

Não há dúvidas de que o setor de tecnologia está entre os que mais cresce no Brasil e no mundo. Conforme estudo publicado na Forbes, com base em dados do Glassdoor, entre as 50 profissões que estão em alta, quase metade pertence a essa esfera.

Um dos cargos que podemos destacar nessa lista é o de desenvolvedor Front-End, um profissional ligado diretamente às interfaces de páginas na web, e que tem sido muito requisitado na construção de sites, aplicações e plataformas online.

Para quem se interessa por programação para web e criação de interfaces, trata-se de uma carreira muito atrativa e com um grande número de oportunidades de emprego, que costumam render ótimas remunerações.

Se você tem interesse em saber o que faz um desenvolvedor Front-End na prática e gostaria de trabalhar na área, mas não sabe por onde começar, chegou ao lugar certo! Leia nosso artigo até o fim para se informar e tirar todas as suas dúvidas sobre essa carreira.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

O que é um desenvolvedor Front-End?

Quando falamos em desenvolvedor Front-End, estamos nos referindo ao profissional responsável pela criação e manutenção de interfaces em páginas web, ou seja, das partes que podem ser visualizadas e interagem diretamente com o usuário.

Isso inclui montar a sua estrutura, como a inclusão de cabeçalho, rodapé, textos, botões banners, colunas e imagens, e também as funções que cada um desses elementos terá.  

Mãos teclando no computador códigos front-end
A função do desenvolvedor Front-End é criar e fazer a manutenção da interface de páginas para a web.

Para essa função, ele terá que levar em conta a usabilidade, a estética e a experiência, de forma que quem tem acesso aos sites e aplicações consiga navegar com facilidade, cumprindo o intuito para qual a página foi idealizada. 

Qual a diferença entre Front-End, Back-End e Full Stack?

O setor de tecnologia é dividido entre diversos cargos, e é comum que haja dúvidas a respeito da diferença entre cada uma dessas funções. 

Imagine que você está dirigindo um carro. Nesse processo, você interage com o volante, marchas, pedais, painel, freio de mão e alavancas, e tem acesso a informações no painel, como velocímetro, luzes do painel, nível de combustível, entre outros.

Entretanto, para que essa parte que você visualiza possa funcionar, é necessário que o carro tenha uma série de outras que você não vê: motor, monobloco, tanque de combustível, sistema de freios, suspensão, radiador, bateria, e assim sucessivamente.

De maneira simplificada, podemos dizer que a parte com a qual o motorista interage é o Front-End, e a parte “escondida” é o Back-End. Uma não funciona sem a outra, e cada uma cumpre sua função.

Ou seja, ao contrário do Front-End, o desenvolvedor Back-End cuida da parte funcional de uma página, que não pode ser vista pelo usuário. Ele trabalha com lógica de programação, segurança, funcionalidades, regras, e serve como ponte até o banco de dados.

Mas e o Full Stack? Essa terminologia é utilizada para denominar um profissional que atua em qualquer parte do desenvolvimento, seja no Front-End ou no Back-End. Para isso, ele deve ter um bom domínio em ambas as áreas.

Essa função costuma ser mais comum em empresas menores ou com menos demandas com relação ao desenvolvimento. Em alguns casos, também é usado como curinga, em contextos em que é necessário um profissional multitarefas.

Qual a diferença entre Front-End e Web Designer?

Outra confusão que pode haver é entre Front-End e Web Designer. Isso porque, há algum tempo, os profissionais de design eram responsáveis pela criação visual das páginas na web, e os desenvolvedores se encarregavam da estrutura.

A verdade é que o Web Designer se encarrega da criação gráfica, e é mais voltada para os elementos visuais, como conceitos de cor, tipografia, espaço negativo, as imagens e banners que serão utilizadas, os efeitos visuais aplicados, entre outros

A função do Front-End é que essa página projetada esteja funcionando, ou seja, para além de ser visualmente agradável, o usuário possa fazer login, clicar nos botões, navegar pelas categorias e menus, compreender a hierarquia das informações, e assim por diante.

Portanto, a principal diferença entre ambos é de que o Front-End não é um designer, mas sim um desenvolvedor. Embora em alguns momentos as áreas se cruzem por tratarem de interfaces, esse profissional vai lidar com interatividade e lógicas de categorização e programação, e não especificamente com a parte visual. É comum que trabalhe juntamente com Web Designers e UX/UI Designers.

Quais as principais ferramentas para Front-End?

Há três ferramentas que esse profissional deve ter um bom conhecimento e saber como utilizar: HTML, CSS e Javascript. É por meio delas que a interface de uma página ganhará vida, e cada uma tem grande importância durante o desenvolvimento do projeto.

O HTML é uma linguagem de marcação, já que não envolve lógica de programação, e é utilizado nas páginas para a categorização do conteúdo. Ou seja, ele será usado para estruturar as páginas, definindo os menus, cabeçalhos, rodapés, títulos, entre outros elementos. 

Quem atua lado a lado com o HTML é o CSS, que funciona como um mecanismo complementar, Essa ferramenta, por sua vez, adiciona estilo à página, aplicando cores, efeitos, animações, formas, tipografia, entre outros. 

ferramentas para o desenvolvedor front end
HTML e CSS são duas das ferramentas essenciais para todo programador Front-End.

Por fim, o desenvolvedor Front-End deve saber utilizar o Javascript, uma linguagem de programação que funciona em conjunto com essas outras ferramentas e ajuda a proporcionar uma experiência mais dinâmica ao usuário, adicionando funções mais complexas e interativas.

Além disso, também pode ser importante que o profissional saiba utilizar frameworks e bibliotecas, pois isso pode facilitar tarefas repetitivas por meio de soluções pré-fabricadas, agilizando o processo de desenvolvimento. 

Qual o perfil de um desenvolvedor Front-End?

Além das habilidades técnicas que envolvem essa profissão, é desejável que o desenvolvedor Front-End tenha algumas características com relação ao perfil, que possam ser usadas no dia a dia e contribuam para uma melhor realização do trabalho.

A primeira delas é a flexibilidade com relação a mudanças. Por ser uma área que está ligada tanto ao Design quanto ao Back-End, eventualmente pode ser necessário fazer alterações no projeto para atender às demandas desses demais departamentos.

A habilidade de se comunicar também é importante para transitar pelos diversos setores de uma empresa, compreender as demandas do projeto e conseguir transmitir para os demais profissionais o que está sendo feito. 

Banner da Campanha Novos Cursos Awari

Vale ressaltar que todas essas características não são intrínsecas, ou seja, você poderá desenvolvê-las diariamente para aplicar na sua vida profissional.

Onde um desenvolvedor Front-End pode trabalhar?

Conforme mencionamos, a procura por desenvolvedores Front-End tem sido alta por parte dos contratantes. A maior parte dessas oportunidades de emprego se dá em empresas de tecnologia e agências multidisciplinares.

Além disso, há empresas de diferentes segmentos e startups que têm um setor interno de tecnologia e precisam de profissionais dessa área para a criação e manutenção dos próprios sites, aplicações e páginas web. 

O Front-End ainda tem a possibilidade de trabalhar como autônomo, prestando serviços de desenvolvimento para pessoas e companhias.

Quanto ganha um desenvolvedor Front-End?

De acordo com o site Glassdoor, com base na remuneração de mais de 2.200 empresas brasileiras, o salário médio de um desenvolvedor Front-End é R$ 4.104, partindo de R$ 2.000 em profissionais iniciantes, e podendo ultrapassar R$ 10.000.

O mercado fora do Brasil também apresenta ótimas oportunidades para quem desejar trabalhar no exterior, ou até mesmo para uma empresa internacional. O site BuiltIn estima que a média salarial nos Estados Unidos, por exemplo, é de US$ 8.770, variando entre US$ 1.000 e US$ 27.500, de acordo com o cargo e o tempo de trabalho.

Como se tornar desenvolvedor Front-End

Agora que você já conhece os principais pontos relacionados ao desenvolvimento Front-End, vamos entender algumas das práticas que vão ajudar você a se desenvolver e começar a atuar nessa profissão. Confira!

Estude as ferramentas relacionadas a Front-End

É impossível falar em Front-End e não citar HTML, CSS e Javascript. Essas três ferramentas com funções distintas são essenciais para o trabalho de todo desenvolvedor da área, além de servirem como base para outros recursos.

Por isso, é imprescindível que todo o profissional tenha um bom conhecimento sobre o funcionamento delas, e saiba utilizar as principais funções de cada uma para a criação e manutenção de interfaces. Isso inclui o domínio a respeito da lógica de programação.

Se você já estiver familiarizado com essas ferramentas, também será muito útil conhecer os principais frameworks para Front-End, como React, Angular.js, Bootstrap, Foundation, 

Compreenda conceitos básicos sobre design

Muito embora Front-End e Design sejam cargos diferentes, para que haja uma boa comunicação entre ambos e sinergia durante o desenvolvimento dos projetos, pode ser valioso que um tenha conhecimento sobre o trabalho do outro.

Para os desenvolvedores, isso significa entender conceitos básicos de design como composição, hierarquia, equilíbrio, formas, cores e tipografia. 

Esteja atualizado com relação ao mercado e às tecnologias

O setor de tecnologia passa por mudanças com muita rapidez, e os profissionais da área precisam estar atentos às atualizações com relação a ferramentas e metodologias, já que muitas delas podem tornar o trabalho diário mais prático e rápido.

Uma das formas de se manter informado é por meio do seu networking ao conversar com colegas e profissionais da área. Aproveite os encontros para trocar experiências e tirar dúvidas sobre novidades relacionadas a Front-End. Você também pode fazer isso pelo LinkedIn, ou até seguir perfis no Instagram e grupos no Facebook.

Outro método é acompanhar notícias e artigos sobre o tema. Acesse sites especializados e assine newsletters para ficar por dentro do que há de novo. 

Treine fazendo exercícios e crie um portfólio 

Um dos maiores dilemas para se iniciar no mercado de trabalho em qualquer profissão é a experiência, já que algumas vezes, os recrutadores não contratam pessoas que ainda não atuaram na área.

Entretanto, uma das formas de driblar esse obstáculo enquanto iniciante é treinar suas habilidades com exercícios. Isso vai trazer familiaridade com as ferramentas de Front-End e ajudar a construir suas habilidades com relação ao raciocínio lógico e à tomada de decisões. 

Assim, quando você estiver em um processo seletivo e precisar realizar um teste técnico, já saberá como proceder e sairá na frente dos demais candidatos.

desenvolvedor front end no computador
Mesmo sem experiência no mercado de trabalho, você pode treinar suas habilidades e criar seu portfólio. 

Nesses exercícios, você pode criar seus próprios projetos, replicar sites e aplicações de outros desenvolvedores, ou até mesmo pensar sobre como você mudaria em algumas páginas para a web.

Além disso, sempre que fizer trabalhos autorais, inclua em seu portfólio. Será uma forma de mostrar para os recrutadores que você estuda o desenvolvimento Front-End e está apto a iniciar em um cargo como estagiário ou júnior.

Faça um curso de desenvolvimento Front-End

Por fim, se você pretende se tornar um desenvolvedor Front-End, é essencial fazer um curso sobre o assunto. Dessa forma, você tem acesso a todo o conteúdo essencial e acelera seu progresso para começar a programar e entrar no mercado profissional.

O Curso Intensivo de Front-End da Awari tem duração de oito semanas, e é focado nos assuntos teóricos e práticos mais importantes sobre o tema. A partir das aulas, você estará apto para criar e aperfeiçoar páginas para a web a partir de HTML, CSS e Javascript.

Além disso, você também vai aprender sobre React.js, uma biblioteca bastante versátil e que está entre as favoritas de muitos desenvolvedores. Entre os módulos, estão componentes e propriedades, estados e eventos, e até mesmo conceitos avançados da ferramenta.

Confira outras aulas inclusas na grade curricular do curso:

  • Fundamentos de Front-End
  • Principais ferramentas
  • Linguagens de programação
  • Conceitos em React.js
  • APIs e Dados
  • Boas práticas em código
  • Git, Github e versionamento

Conheça a Plataforma Awari

A Awari oferece uma plataforma de ensino completa com acesso ilimitado ao material dos cursos, além de benefícios como mentorias individuais, turmas com aulas ao vivo, suporte de carreira e créditos para personalizar sua jornada como preferir.

O Curso de Front-End faz parte da Trilha de Aprendizagem de Programação, que também inclui especializações de Back-End, React Native e DevOps. As aulas são ministradas por professores que atuam nas melhores empresas do mercado.

Escrito por

Avance sua carreira

e cuide do seu futuro

Esse é o momento para investir em seu futuro e dar seu próximo passo profissional. Comece agora e crie sua conta na Awari:

Inscreva-se