Awari

23 de março de 2021

Como se tornar um Growth Hacker: 6 dicas profissionais

O growth hacking está na moda, principalmente entre empresas de tecnologia. O termo, criado por Sean Ellis, fundador e CEO da GrowthHackers e o primeiro profissional de marketing da Dropbox, em 2010, representa uma espécie de leque de estratégias focadas exclusivamente no crescimento de uma empresa. Geralmente, é atrelado às startups em estágio inicial que precisam de crescer exponencialmente  em um curto espaço de tempo – com pequenos orçamentos.

Desta forma, a compreensão do conceito, o potencial e o aprendizado de como aplicá-los em seu negócio tornou-se missão fundamental de empresas de tecnologia. 

Neste cenário, surge o Growth Hacker, alguém que usa estratégias criativas e de baixo custo para ajudar as empresas a adquirir e reter clientes. Às vezes, os Growth Hackers também são chamados de profissionais de Growth Marketing, mas eles não são apenas isso. Qualquer pessoa envolvida em um produto ou serviço, incluindo gerentes e engenheiros de produtos, pode ser um hacker de crescimento.

Dentre as principais atribuições de um Growth Hacker, estão: 

  • Eles se concentram exclusivamente em estratégias relacionadas ao crescimento do negócio;
  • Eles priorizam e testam estratégias de crescimento inovadoras;
  • Eles analisam e testam para ver o que está funcionando.

Mas afinal, como se tornar um Growth Hacker referência no mercado? Há estratégias que podem contribuir para o seu desenvolvimento nesse segmento e, neste artigo, vamos citar alguns exemplos. 

1.Desenvolva estas habilidades:

Essencialmente, um Growth Hacker deve ser responsável por ter idéias criativas, habilidades analíticas e ter conhecimento em métricas. Desta maneira, um hacker de  crescimento, semelhante a um expert em marketing digital, deve aprofundar seus estudos e focar seus esforços nos seguintes segmentos: redes sociais, escrita, produção de conteúdo, UI/UX, SEO, Pesquisa e Analytics. 

Assim, a principal diferença entre o growth hacking e um expert em marketing está no fato de que o marketing digital é focado na marca e no posicionamento da empresa. O Growth Hacker, por sua vez, envolve o processo de prototipagem rápida e testes de diferentes táticas.

Há sites que podem te auxiliar nessa jornada de conhecimento. Em UI/UX, por exemplo, você pode acompanhar o UX Collective, uma comunidade onde milhares de Designers compartilham suas ideias, notícias, conteúdos e dicas para quem quer seguir carreira no segmento.  

2. Pense Diferente (Pense no Crescimento)

Lembra que mencionamos que você precisará ser criativo? É aqui que você começa a utilizar esse recurso. A arma secreta de um bom Growth Hacker é simples e prática: pense diferente. 

O mercado está saturado de ideias e padrões, e se você quiser destacar sua empresa ou negócio, vai precisar ter uma mentalidade de crescimento que está além de tudo que já está sendo utilizado. Desta maneira, o trabalho como hacker de crescimento vai te exigir que pense fora da caixa e desencadeie sua criatividade para gerar soluções. 

3. Lembre-se destes três mandamentos

Toda estratégia produzida por um Growth Hacker deve ser baseada em pelos três comandos: 

  • O que seu cliente quer?
  • Onde o seu cliente reside?
  • Que idioma seu cliente fala?

Após descobrir as respostas para essas três perguntas, você pode focar no seu alvo, que são os usuários ou clientes que vão consumir seu produto. Neste contexto, a Make my Persona torna-se uma excelente ferramenta essencial, pois nada mais é que um site que auxilia o usuário na criação de personas – pessoas que terão algum tipo de interação com o seu conteúdo, produto ou serviço.

Saber exatamente quem é seu cliente determinará o destino de seus esforços como um Growth Hacker. Por isso, a criação de persona é a parte crucial da sua estratégia, e tem que ser feita cuidadosamente.

4. Dê atenção ao funil AAARRR

O Funil Pirata (também conhecido como AAARRR: Awareness, Acquisition, Activation, Revenue, Retention, Referral) é uma metodologia que auxilia na otimização de cada etapa do processo de desenvolvimento de uma estratégia, seja para produtos ou serviços. Desta forma, ela impacta positivamente nos resultados finais, aumentando a qualidade de entrega.

Essa dica transpõe a função de Growth Hacker, já que ela também é utilizada por diversos outros profissionais de marketing digital, como Product Managers entre outros. Mas aqui ela é essencial, já que Growth Hackers são responsáveis por todos esses seis estágios no funil de crescimento:

Awareness: as métricas de conscientização se concentram em estar em evidência, se apresentar aos potenciais clientes e em tentar convencê-los a conhecer o produto. Por exemplo, sempre que uma pessoa ver alguém vestindo uma caneta ou adesivo com a sua marca, isso geraria notoriedade – e, ao longo do tempo, as pessoas terão cada vez mais confiança na marca.

Métricas para medir: visitas ao site, métricas de vaidade (curtidas, compartilhamentos sociais, impressões sociais), pesquisas de brand awareness

Acquisition: normalmente, a aquisição é o seu primeiro contato com o usuário ou cliente. Nesta etapa, você trocará algum tipo de conteúdo pela permissão para enviar mensagens novamente no futuro. Para uma empresa, isso pode ser uma newsletter, por exemplo.

Canais para trabalhar: webinars, widgets de bate-papo, otimização de página de destino.

Activation: a ativação é a etapa em que o usuário experimenta, de fato, o produto. A missão desta etapa é ajudá-los e impressioná-los com a melhor experiência do seu produto ou serviço.

Canais para trabalhar: experiência do usuário e sucesso do cliente.

Revenue: a receita é, provavelmente, a fase mais fácil de lembrar, principalmente para empresas e startups que vem tendo crescimento escalonado nos últimos anos. Esta etapa é quando seu usuário finalmente compra algum de seus produtos. A melhor dica aqui é para você sempre se lembrar: a jornada ainda não terminou, ainda faltam duas etapas do funil. 

Canais para trabalhar: experiência UX, vendas e o produto em si.

Retention: a retenção é a fase do Funil Pirata em que você analisa a quantidade de receita que você pode gerar de um determinado cliente. Nesta etapa, o objetivo é que 

Canais para trabalhar: ciclo do cliente, email marketing, marketing do produto

Referral: as referências são, definitivamente, uma das áreas mais importantes do funil para se concentrar. Aqui, umas das maiores estratégicas que você pode aplicar é no Marketing boca a boca, no pós-compra. O estágio de Referência, torna-se, então, uma das etapas crucial para o seu negócio e por isso é reconhecido por especialistas da área como um estágio de “fechamento de ciclo”.

Métricas de referência para medir: NPS, Referrals, Social Shares, Awareness Metrics (por canal).

5. Conheça as ferramentas de Growth

O principal objetivo de um Growth Hacker é reduzir o custo por aquisição de clientes o máximo possível. Por isso, uma das estratégias que você pode usar é: em vez de utilizar anúncios pagos, explore os diversos tipos e estilos de ferramentas que irão te auxiliar na elaboração de uma estratégia de Growth, como por exemplo: 

Google Analytics

O Google Analytics facilita na análise de dados, incluindo número de visitas e taxa de rejeição. Desta maneira, ele torna o trabalho do Growth Hacker mais prático, já que é possível usar a ferramenta para analisar como está a receptividade do público-alvo com o conteúdo apresentado por sua empresa. 

Hubspot

Hubspot é uma plataforma de software de gestão que ajuda as empresas a atrair visitantes, converter leads e fechar clientes. Basicamente, ele fornece ferramentas que podem ajudar sua empresa em verticais como blogs, SEO, mídias sociais, e-mail, landing pages, automação de marketing e análise da web — ela também pode ser usada como um sistema de gerenciamento de conteúdo.

Google Optimize

Testar, testar e testar. O Google Optimize é uma ferramenta prática para criar e validar testes A/B em tempo real. Assim, o Growth Hacker pode criar conteúdos cada vez mais otimizados para o público.

6. Conheça linguagens de programação (será um diferencial)

Uma vantagem que um Growth Hacker pode adquirir em relação aos seus concorrentes no mercado é ter o domínio de pelo menos uma linguagem de programação. Desta forma, ele poderá automatizar a maioria das tarefas chatas (repetitivas) e fazer análises e pesquisas de dados mais aprofundados, tanto quantitativas quanto qualitativas. 

Python é fortemente usado nesses casos, e é recomendado para quem quer seguir carreira como Growth Hacker, já que dominá-la facilitará o trabalho e os ajudará com os dados que eles querem para uma melhor tomada de decisão em sua empresa ou negócio. O domínio em uma linguagem de programação pode também proporcionar a autonomia para a produção de projetos. Com o domínio de HTLM, por exemplo, você poderá desenvolver uma landing page sem precisar da ajuda do time de engenharia ou do time design. 

Eduardo Valim

Escrito por

Eduardo Valim

é redator na Awari e escreve sobre carreira e tecnologia.