Facebook pixel
Awari

24 de agosto de 2021

Como é trabalhar com tecnologia em uma fintech?

As fintechs estão revolucionando o mercado financeiro. Como? Através da tecnologia. E, é claro, das pessoas que trabalham com tecnologia. Quer saber como é fazer parte desse movimento de transformação? 

Continue neste texto para saber como é trabalhar com tecnologia em uma fintech. 

O que é uma fintech?

As fintechs são as empresas responsáveis por soluções tecnológicas que melhoram os serviços financeiros para pessoas físicas e jurídicas. O objetivo é levar opções menos burocráticas e mais simples e baratas para os usuários. Essas empresas de tecnologia atuam nas mais diversas áreas do mercado financeiro, como:

  • investimentos;
  • bancos;
  • seguros;
  • trading;
  • empréstimos e mais. 

Quais serviços as fintechs oferecem?


Há uma variedade de serviços tecnológicos oferecidos pelas fintechs, mas, de modo geral, essas empresas criam plataformas e aplicativos pelos quais é possível gerenciar fundos, negociar ações, gerenciar seguros, fazer a gestão de custos, administrar despesas e até pedir alimentos.

A Conta Simples, fintech brasileira voltada para empresas, é um exemplo: ela desenvolveu uma solução tecnológica integrada para seus clientes, criando um software para a gestão de despesas aliado a uma conta corrente com múltiplos cartões. É que o grande diferencial das fintechs é o olhar atento às necessidades dos clientes e o desenvolvimento de soluções para as dores do usuário. 

Imagem mostra um notebook, um cartão de credito e um celular
Dashboard do site e app da Conta Simples


Carreiras em fintechs 


Um fintech precisa de uma equipe multidisciplinar de profissionais. São muitas as áreas de atuação, como Vendas, Marketing e Recursos Humanos — e todas elas são estratégicas para o sucesso do negócio. Mas é nas equipes de Engenharia, Tecnologia e Produto que nascem os produtos tecnológicos que irão simplificar a vida do usuário. Mas como é trabalhar nessas áreas?

Trabalhando com tecnologia em uma fintech

Não falta espaço para talentos tech nas empresas de finanças da nova economia. Entre eles, os desenvolvedores (ou programadores) desempenham um papel crucial. Afinal, são eles que programam o produto e suas funcionalidades.

Para construir as soluções das fintechs, em geral, esse profissional precisará saber:

  • Java, Python, C++, HTML, PHP ou outras linguagens de programação;
  • transitar entre mobile e web de forma contínua.

“O papel do desenvolvedor em uma fintech é, além de executar o que está sendo proposto pelo time de produto e design, ter um papel ativo na inovação, seja de produto ou seja de tecnologia”, conta Victor Martins João, desenvolvedor front end e mobile que também atua como Tech Lead na empresa. 

De acordo com ele, desenvolver em uma fintech é uma oportunidade de tornar o sistema bancário melhor: “existem diversas melhorias que podem ser feitas para gerar mais produtividade e controle para os clientes. Esse tem sido nosso objetivo hoje”, afirma.

Mas um dev não é feito somente de habilidades técnicas. Como as fintechs estão em constante transformação, fazendo testes para solucionar as dores do cliente, o profissional precisa ser versátil e adaptável. Esse ambiente de experimentação dá aos profissionais a liberdade de tirar novas ideias do papel e contribuir para a resolução de problemas. 


Crescimento profissional 

As fintechs são grandes laboratórios de soluções financeiras, o que significa que há muito espaço para experimentação e evolução. Nesse cenário, os profissionais que se destacam têm a oportunidade de crescer (e muito!) dentro da companhia.

Na área de tecnologia, é possível seguir um caminho gerencial, liderando as equipes. Por outro lado, o profissional também pode optar por se especializar, tornando-se uma referência para determinado assunto na fintech.

Na Conta Simples, por exemplo, Victor João atuou como desenvolvedor e conquistou a posição de Tech Lead, um líder técnico que deve gerir um time de tecnologia. Ele explica que acaba sendo uma “peça que ajuda a engrenagem a rodar de forma fluida. Ajuda a propor as soluções técnicas e resolver possíveis bloqueios”, diz.

O dia a dia em uma fintech 


Em geral, as fintechs cultivam uma cultura organizacional forte, que reflete a agilidade e a simplicidade que essas empregam pregam. Na área de Tecnologia e Produto, não é diferente.

Tech Lead da Conta Simples, Victor Martins João, conta que a sua rotina é marcada por encontros diários de alinhamento com a equipe, sempre no início e no fim do dia. Entre um encontro e outro, o time se divide para realizar as tarefas previamente combinadas.

Segundo ele, o modelo é indispensável para garantir a celeridade e a qualidade dos processos: “Esses alinhamentos constantes fazem com que as decisões sejam sempre bem dinâmicas e rápidas, acredito que essa seja uma característica bem forte de uma fintech”, diz.

Para encontrar soluções inéditas para os clientes, os profissionais de tecnologia precisam ainda estar em contato direto com o time de atendimento ao cliente ou customer success. Afinal, é ouvindo o usuário e suas dores que as fintechs trarão inovações para o mercado financeiro.

Trabalhar com tecnologia em uma fintech é…

Uma oportunidade de se desenvolver profissionalmente de forma rápida a partir da experimentação e com foco total no cliente. Para conhecer exemplos de produtos inovadores que nascem de uma fintech, explore os serviços financeiros da Conta Simples. 

Escrito por

Alice Moura

Escrito por

Juliana Ferreira