Facebook pixel
Awari

15 de setembro de 2021

Scrum: o que é e como aplicar a metodologia ágil

Se você é novo na área de tecnologia, a quantidade de terminologia e métodos desconhecidos pode parecer assustadora. Há muitas metodologias diferentes para escolher, e cada uma é mais adequada para diferentes tipos de empresas e projetos. Uma das abordagens mais comuns é o Scrum.

Ele faz parte das conhecidas “metodologias ágeis” centradas na ideia de desenvolvimento iterativo, onde requisitos e soluções evoluem por meio da colaboração entre equipes multifuncionais auto-organizadas. Assim, ele permite que as equipes agreguem valor mais rapidamente, com maior qualidade e previsibilidade, e maior aptidão para responder à mudança.

Quer entender tudo sobre Scrum? Vamos lá!

Conceito de Scrum

O conceito de “Scrum” foi visto pela primeira vez em um artigo da Harvard Business Review, intitulado “The New New Product Development Game“, escrito por Hirotaka Takeuchi e Ikujiro Nonaka em 1986. A termo “Scrum” vem de um dos principais esportes dos Estados Unidos, o rúgbi. À época, os autores do artigo explicaram o termo dizendo que “como no rúgbi, a bola é passada dentro da equipe à medida que esta se move como uma unidade campo acima”.

Ao longos dos anos, o método foi desenvolvido e codificado por Ken Schwaber e Jeff Sutherland em 1995 nas publicações Agile Manifesto e SCRUM Development Process.

O Scrum de Schwaber e Sutherland foi em parte uma rejeição ao modelo de desenvolvimento de software em cascata, no qual os projetos são fragmentados em fases sequenciais, e os entregáveis de cada fase servem para desbloquear o trabalho da fase seguinte. Schwaber e Sutherland acreditavam que os desenvolvedores de software poderiam se beneficiar de uma abordagem mais flexível e iterativa que lhes permitisse responder e adaptar-se continuamente ao ambiente, a fim de criar o melhor produto possível para os clientes.

Os dois contribuíram tanto para a comunidade de tecnologia, que desenvolveram um Guia do Scrum, um documento dinâmico que atualizam com regularidade e, segundo eles, incentiva as equipes a “analisar a eficácia das suas técnicas de trabalho e as desafia a evoluir e se aperfeiçoar continuamente”.

O que é o método Scrum?

Eu sei, você ainda deve estar se perguntando, o que é Scrum?

Bom, ele é uma estrutura de regras, funções, eventos e artefatos usados para implementar projetos ágeis. É uma abordagem iterativa, consistindo em sprints que normalmente duram apenas de uma a quatro semanas. Essa abordagem garante que sua equipe entregue uma versão do produto regularmente.

O Scrum foi projetado usando um modelo de software que segue um conjunto de funções, responsabilidades e reuniões. Ele pode ser usado para qualquer projeto complexo, mas funciona melhor quando o resultado é um produto concreto do que um serviço.

Adotar a metodologia ágil Scrum requer funções e responsabilidades específicas, incluindo o seguinte:

  • Product Owner: é responsável por representar o melhor interesse do cliente. Essa pessoa tem a autoridade máxima sobre o produto final.
  • Scrum master: Essa pessoa é facilitadora, responsável por organizar as reuniões diárias, melhorar as interações da equipe e maximizar a produtividade. O gerente de projeto geralmente assume o papel de Scrum master, mas pode delegá-lo a qualquer pessoa da equipe que seja especialista em Scrum e forte facilitador.
  • Backlog: O backlog é uma lista de tarefas e requisitos incluídos no produto final. É responsabilidade do proprietário do produto criar o backlog.
  • Sprint: Um sprint é um período de tempo definido para concluir cada conjunto de tarefas do backlog. Cada sprint deve ter o mesmo comprimento. Duas semanas é típico, mas um sprint pode durar de uma a quatro semanas, dependendo das necessidades da equipe e do projeto.
  • Reuniões diárias: Espera-se que uma equipe de projeto Scrum se reúna todos os dias para discutir o progresso. Essas reuniões são normalmente chamadas de Daily Scrum ou Daily Stand-Up.
  • Retrospectiva: Cada sprint deve terminar com uma reunião de revisão, chamada retrospectiva. Aqui, a equipe analisa seu progresso e discute como eles podem melhorar no próximo sprint.

Quem pode utilizar Scrum?

É importante ressaltar que o Scrum não é somente para programadores e desenvolvedores. Ele pode ser utilizado por qualquer equipe de uma organização que tenha um projeto a ser colocado em prática, não necessariamente de tecnologia. A metodologia ágil de Scrum pode ser usada em uma empresa/startup de Marketing ou Recursos Humanos (RH), por exemplo. 

Como aplicar o Scrum?

Você já aprendeu o conceito, o que é e finalmente chegamos na parte mais interessante: como aplicar o Scrum no seu dia a dia, na prática. É importante ter em mente que o processo do Scrum não é melhor e nem pior que as outras metodologias ágeis. Ele é apenas um método ágil que foca na melhoria contínua do seu projeto e time. Você pode não saber muito no início do sprint, mas pode ajustar os seus processos e necessidades com base nas informações obtidas durante o desenvolvimento do Scrum Sprint.

Mas como isso funciona na prática? Veja como funciona o processo:

1. Organização do backlog. Para começar um sprint, o líder da sua equipe (também conhecido como Scrum Master) identificará os trabalhos a serem extraídos do seu backlog, ou seja, o trabalho que precisa ser feito. Para fazer da forma correta, você precisa ter documentado o backlog do produto de modo claro em um único lugar. Você pode utilizar ferramentas com o Asana para se organizar. 

2. Realizar uma sessão de planejamento do sprint. Antes de começar o sprint do Scrum, você precisa saber o que deverá enfocar. Durante a sessão de planejamento do sprint, você avaliará o trabalho do backlog em que a sua equipe precisará se concentrar neste sprint específico do Scrum. Para começar, experimente os nossos modelos grátis para planejamento de sprints.

3. Início do sprint do Scrum. Comumente, um sprint leva duas semanas, contudo pode-se ter sprints mais curtos ou mais longos, dependendo do que for melhor para a sua equipe. Durante o sprint, ela trabalhará nos itens do backlog listados durante a sessão de planejamento do sprint.

Quadro Kanban com um sprint da equipe de Engenharia para o Scrum
Sprint feito no Asana – Asana

4. Realização de encontros diários do Scrum. Planeje reuniões diárias de 15 minutos com a sua equipe. Esses encontros diários são a sua chance de informar os projetos em que vocês estão trabalhando e identificar bloqueios inesperados que vocês encontraram. 

5. Apresentação do trabalho durante a revisão do sprint. Depois de concluir o sprint do Scrum, a sua equipe deve-se reunir para realizar uma revisão do sprint. Durante essa ocasião, a equipe do Scrum apresentará o trabalho que estiver “Feito” para a aprovação ou inspeção dos participantes.

6. Interações e reflexões durante a retrospectiva do sprint. Após a conclusão do sprint, dedique algum tempo para discutir como ele correu e o que pode ser melhorado no futuro. Lembre-se de que o Scrum depende de um processo de melhoria contínua, por isso não tenha medo de experimentar novos processos ou estratégias de retrabalho que aparentem ser menos eficazes no seu próximo sprint. 

Qual a importância do Scrum?


Um quadro Scrum é mais acessível e funcional do que um na parede. Atualizações regulares garantem que todos do time permaneçam informados. Relatórios indicam seu progresso e ajudam você a prever seu desempenho no próxima sprint. Eles também dão visibilidade ao seu trabalho às suas partes interessadas. Os quadros de horários ajudam você a medir o tempo gasto em cada tarefa.

Em resumo, as equipes Scrum seguem uma abordagem de inspeção e adaptação. Ou seja, eles tentam coisas, medem e aprendem com eles a tomar melhores decisões no futuro. Isso implica que medir seu trabalho é uma parte crítica do aprendizado com ele. 

Autonomia, fluidez e evolução são princípios fundamentais do Scrum. Uma hierarquia fluida equipa as equipes para tomar decisões autônomas que assumirão e fazer o trabalho em que investe, criando um ambiente que está constantemente aprendendo e evoluindo.

Um exemplo famoso

1. Spotify

Quando o Spotify lançou seu primeiro reprodutor de música em 2008, eles eram uma empresa de scrum.

Eles operam em equipes autônomas multifuncionais chamadas squads. Eles criaram sua própria estrutura para dimensionar o Scrum quando se expandiram. Com gigantes como Google, Amazon e Apple como concorrentes, eles precisavam de uma vantagem notável para se manterem relevantes no mercado e seu sucesso pode ser atribuído diretamente à sua cultura orientada pela agilidade.

Escrito por

Eduardo Valim

é redator na Awari e escreve sobre carreira e tecnologia.