Awari

7 de abril de 2021

Como conquistar uma vaga em Tecnologia? Entrevista com Caio Chedid, Global Talent Acquisition Senior Director da Gympass

O mercado digital está em constante expansão no Brasil. Mesmo com o cenário instável no qual o país atravessa, a abertura de vagas em tecnologia não parou de crescer – muito pelo contrário. De acordo com um levantamento feito pela Catho, empresa brasileira de classificados de empresas, a abertura de oportunidades na área teve aumento de até 671% no ano passado em comparação com 2019.

Esse processo de expansão do setor de tecnologia foi atenuado como reflexo da transformação digital pela qual diversas empresas se viram obrigadas a passar diante das medidas de restrição e isolamento.

Assim, com o mercado aquecido, em desenvolvimento e com os investimentos na área, cresce, também, a necessidade de uma estrutura cada vez mais eficiente por parte de empresas e, principalmente, profissionais do segmento. 

E é justamente neste cenário que surge a questão: 

Como entender o mercado, ganhar destaque e se tornar um profissional de tecnologia disputado pelas empresas? 

Para responder essa pergunta, a Awari conversou com Caio Chedid, Global Talent Acquisition Senior Director da Gympass, startup brasileira que nasceu como um benefício corporativo de atividade física e adaptou-se para conseguir fornecer soluções virtuais de bem-estar em casa – da terapia e meditação à nutrição e atividade física.

Com isso, neste artigo vamos entender como funciona o recrutamento das empresas e o que você pode fazer para se destacar entre candidatos qualificados. Vamos lá?

Hoje, qual a maior dificuldade da sua empresa na busca por profissionais qualificados da área de Tecnologia?

Caio: “A maior dificuldade para se contratar profissionais de tecnologia atualmente é, sem dúvida, a alta demanda do mercado. Além das novas empresas tech/startup, as empresas tradicionais também passam por revoluções digitais fazendo com que a demanda seja muito maior que a oferta. Isso, muitas vezes, deixa sequelas, como por exemplo, “inflacionar o mercado”, ou até transformar o comportamento de jovens em relação ao trabalho em algo inconstante, fazendo com que as passagens desses profissionais sejam menores que 3 a 5 anos (considerado um ciclo completo). O que, por sua vez, deixa uma outra sequela, que é formar profissionais que não tem resiliência emocional, além de não viverem exposições/problemas técnicos que seriam necessários mais pra frente em cadeiras de gestão.” 

Qual a média salarial de um profissional de Tecnologia em FinTechs e Startups?

Caio: “A média salarial  de um profissional de tecnologia pode variar muito de acordo com sua função. Usando o exemplo dos Engenheiros de Software, um salário de entrada em uma empresa média/grande pode estar em torno dos seus R$6.000,00, chegando até R$13.000,00 para engenheiros mais seniores. Vale citar que não estou incluindo o “principal engineers” nessa média, pois os salários desses profissionais podem ser muito mais altos.”

Qual o diferencial competitivo que você busca em profissionais de Data Science, Product Management, UX Design e UI Design durante o processo seletivo de sua empresa? 

Caio: “Normalmente, eu, enquanto recrutador, faço minhas entrevistas por competências de acordo com os valores da empresa para a qual contrato. Por exemplo: no Gympass, procuro pessoas que tenham feito projetos demonstrando construção colaborativa, sendo um A player, mas mantendo sempre a humildade (característica forte dos **gympassers que carregamos do nosso CEO, que apesar do sucesso profissional, sempre remete ao escritório pequeno no passado, com pouco recurso, e sempre acessível a todos). Também procuro pessoas:

  • Sempre atentas à diversidade em todas as esferas possíveis e imagináveis, porém, sem perder o foco no resultado. 
  • Íntegras, fazendo sempre o que é certo. 
  • Líderes, sempre por exemplo, por nossas ações e não pelo cargo. 
  • Reconhecidas, que também é muito importante, pois ressalta toda questão meritocrática que as pessoas buscam em empresas para se trabalhar. 
  • Com comportamento do dono, não aceitando atalhos e construindo algo global e sustentável.
  • Com mentalidade de ecossistema, pois temos que ter visão do todo, para que alcancemos nossa missão de tornar o wellbeing universal. 
  • E por último, e não menos importante, que vivam a missão da empresa, não somente praticando atividade física, mas capacitando pessoas também na esfera de saúde mental.

Sempre me perguntam: mas e sobre tecnologia, você não busca coisas específicas? A resposta é que sim, buscamos, mas sabemos que tecnologias mudam, são commodities. O importante, na verdade, é ter alguém com nossos valores, e que estejam dispostos a aprender as hard skills necessárias.

*Gympassers é o termo utilizado para descrever os colaboradores da Gympass. 

Quais são as soft skills mais importantes  para profissionais de tecnologia atualmente? 

Caio: “Destaco duas competências que vejo as pessoas se aprimorando, são elas:

  • Construção colaborativa – principalmente no mundo tech, as pessoas começam a entender que não se constrói nada sozinho(a).
  • Liderança por exemplo – vejo cada vez mais que a figura do “chefe” do passado, que fica dentro de uma sala dando ordens deixou de existir. Hoje, os líderes sentam junto com seus times, open space, assim seus liderados assistem, ouvem e aprendem as atitudes e o dia a dia de profissionais mais seniores.”

Quais são as oportunidades de carreiras que vocês oferecem dentro do Gympass?

Caio: “O Gympass é um caso à parte. É um sonho de qualquer profissional, pois com o crescimento acelerado da empresa, oportunidades em todas as áreas aparecem constantemente. Poderia te dizer produto, engenharia, vendas, marketing, finanças, operações, RH…. todas realmente tem muitas posições. Talvez por sermos uma tech company, diria que colocamos uns pontinhos a mais de atenção ao recrutamento para tech. Temos um time global 100% focado em tech para os nossos 3 tech offices em São Paulo, Lisboa e NY.”

As oportunidades de vagas de tecnologia na Gympass podem ser encontradas neste link.

Qual dica você daria para profissionais que estão em transição de carreira para a área de Tecnologia?

Caio: “A dica principal para pessoas que procuram migrar para posições em tecnologia é:

  • Estude muito, se prepare, faça todos os cursos e leituras que estiverem ao seu alcance.

A melhor forma de migrar para tecnologia e produto é, com certeza, dentro da sua empresa atual. Normalmente as empresas têm processos de recrutamento interno que possibilitam a migração de profissionais.”

Extra: Dicas da Awari

Investir na preparação profissional e, assim, adquirir conhecimentos multidisciplinares são, são dúvida, passos fundamentais para uma boa migração para a área de tecnologia. E a boa notícia é que você não precisa necessariamente fazer uma graduação tradicional para iniciar sua jornada, muito pelo contrário. 

A vantagem dos ramos de tecnologia é que você não precisa, necessariamente, fazer uma graduação tradicional para ingressar no mercado de trabalho. Um curso de programação gratuito, por exemplo, como os da IBM Cognitive Class, já podem garantir oportunidades. 

Há também a possibilidade de fazer uma formação técnica, que pode prepará-lo ainda melhor para o dia a dia por fornecer um conhecimento mais prático. Essa é, justamente, a proposta da Awari, que oferece cursos focados na experiência prática do aluno e na gestão de sua carreira, por meio de mentorias com profissionais de grandes empresas, como IFood, Disney e Apple. Tudo isso para ajudá-lo a se tornar um profissional qualificado e disputado pelas empresas. 

Eduardo Valim

Escrito por

Eduardo Valim

é redator na Awari e escreve sobre carreira e tecnologia.