Awari

5 dicas para melhorar o seu portfólio de UX Design

Por que melhorar seu portfólio de UX Design hoje? 

Pense na fachada de uma casa e em o quanto as cores, limpeza, organização das janelas dizem sobre ela. Em como as escolhas arquitetônicas podem fazer daquele lugar um ambiente convidativo, moderno ou clássico. E, então pense no seu portfólio como essa fachada: a primeira impressão do mundo sobre seu trabalho.

Apesar de sabermos que não é o ideal, é natural do ser humano julgar um livro pela capa. Primeiras impressões marcam mais do que gostaríamos e você, enquanto UX designer, pode usar isso ao seu favor. 

Sabe aquele portfólio que você mantém há algum tempo? Bem, chegou a hora de passar um pente fino com 5 dicas para sua apresentação pessoal causar uma excelente primeira impressão em recrutadores e visitantes, tanto na fachada quanto no interior.

Os pilares de uma bom portfólio de UX 

Um cuidado atencioso na representação gráfica do seu trabalho é essencial. Mas um bom portfólio não para por aí: o conteúdo também deve estar refinado para garantir que você se destaque de outros designers (afinal, recrutadores e visitantes provavelmente verão vários portfólios por dia). 

Assim, antes de começar sempre tenha em mente: seu portfólio é sustentado pelo conteúdo textual e a aparência dele deve destacar o valor do conteúdo. 

Agora, vamos nos aprofundar nisso nas nossas 5 dicas. Começando por: 

01. Seu portfólio é uma experiência, pense nos usuários

Você com certeza quer mostrar o quanto suas entregas de experiências são bem feitas e seu portfólio também é uma experiência criada por você. Ao pensar em como exibir seus cases, leve em conta a origem e no fluxo de navegação de quem vai ler. 
Além disso, considere também quem vai visitar seu portfólio. Serão outros designers? Gerentes de produto? Desenvolvedores? O que você pode fazer para comunicar seu trabalho para cada um desses leitores? Fique atento a por quais dispositivos seu conteúdo será acessado, cuidando também da experiência responsiva.

O portfólio de Edgar Kozlowski foca em direcionar cada público a seu conteúdo de interesse

No seu cartão de visita virtual, Edgar Kozlowski, designer na Work&Co, mostra de forma objetiva onde chegar aos conteúdos que ele produz: desenvolvedores interessados chegam facilmente ao GitHub, gerentes poderão ler seus conteúdos no Medium.

E, ao pensar sobre seu público-alvo, aproveite para escolher quais dos seus projetos você destacaria para cada um deles. Escolha 3 trabalhos dos quais tenha orgulha e dê destaque a eles: ganhe seu público pela qualidade e não pela quantidade. Pense: você faria uma landing page com 5 botões primários no primeiro viewport? Se muita coisa está em destaque, nada está. 

02. Comece pelo porquê e conte uma história

Mostre para sua audiência porque aquela experiência existe. Qual foi o problema da vida real que te fez ingressar na heróica jornada de construir um produto digital que mudaria a vida dos usuários para sempre? Resolveu esse problema sozinho ou em grupo?

Ao fazer isso, você estará contando a história. Histórias têm início, meio e fim, assim como o desenvolvimento do seu projeto. O porquê do início da sua jornada deve se conectar com o meio, ou seja, com as etapas pelas quais você passou para resolver o problema dos usuários e chegar a um fim.

Case da Netguru para o desenvolvimento de dashboard para o aplicativo de idiomas Babel, no Behance. Antes de mostrar as telas criadas, a empresa se concentra em contextualizar o leitor sobre o porquê do projeto.
Case da Netguru para o desenvolvimento de dashboard para o aplicativo de idiomas Babel, no Behance. Antes de mostrar as telas criadas, a empresa se concentra em contextualizar o leitor sobre o porquê do projeto.

03. Mostre e conte sobre seu processo de criação

Uma coisa é dizer: sou um designer de experiência com tanto anos de mercado, outra é mostrar o seu processo e como você resolve problemas no dia a dia, independente do seu tempo de experiência.

Contar um pouco sobre as etapas de desenvolvimento e mostrar como ele foi conduzido é o que garante que os usuários do seu portfólio saibam que você construiu aquelas experiências conscientemente e têm domínio sobre a disciplina de UX. 

O portfólio de Liz Wells é um ótimo exemplo sobre como mostrar pelo que ela passou antes de tomar as decisões fizeram da experiência o que ela é hoje.

Sendo assim, procure expor seu conteúdo demonstrando consciência nas tomadas de decisão em cada etapa da resolução do problema. Tanto na escolha de imagens do projeto e do processo, quanto nos textos.

04. E o texto importa muito — pense em títulos de reportagem, não em etapas ou nomes de produto

Na era do UX Writing, sabemos o quanto a experiência dos usuários com o texto é elementar. E no seu portfólio não seria diferente. 

Ao compor seu conteúdo textual, escreva como se estivesse contando uma história para um amigo, não se ponha limitações: apenas relate sua experiência de trabalho.

Uma vez com sua história escrita, reduza-a aos pontos que melhor descrevem seu processo. Como por exemplo: quais eram os objetivos, quem eram os usuários, quais foram os maiores desafios que você enfrentou? 

Transforme esses pontos centrais do seu processo em títulos de jorna, ou como sugere Sara Doody, designer e fundadora do UX Portfolio Formula, pense em como contaria seu processo em tweets.

Um bom exemplo é o case da designer Janne Wen para a feature Paper do Dropbox. Os títulos da etapa mostrada, com 3 a 4 linhas, explicam o desafio enfrentado. 

05. Layout com personalidade e estratégia

Conteúdo definido, chegou a hora de pensar na apresentação gráfica do seu portfólio. Tenha em mente que ele será comparado com outros e, por isso, deve trazer sua personalidade (o que você valoriza visualmente) enquanto dá destaque aos projetos que está exibindo.

Uma boa forma de pensar na aparência do seu portfólio é analisando como designers que te inspiram (ou que trabalham em empresas que você admira) se apresentam. 

Mapeie representações gráficas salvando imagens desses portfólios como referência e consulte-as para tomar suas decisões de apresentação. Procure saber como outros designers se posicionam e o que você pode usar como inspiração ou não. 

Nos três exemplos em destaque, note como o conteúdo é muito semelhante. A escolha tipográfica e de cores é o que traz a personalidade de cada um para o jogo. 

Falando em se apresentar…

Dica extra 

O “Sobre mim” (ou, About) merece uma atenção especial: lembre-se de mostrar quem é você, no que você acredita e o que está buscando como profissional. Isso pode ajudar empresas a identificarem fits culturais quando estiverem recrutando UX designers por aí. 

Use seu portfólio para mostrar suas habilidades enquanto UX designer

Seu portfólio é sua fachada para o mundo e deve estar sempre bem cuidada. Nele, você deve mostrar com o que se importa enquanto pessoa e profissional. A melhor forma de fazer isso é contando histórias sobre como você resolveu problemas e criou experiências, enquanto mostra como suas crenças e postura profissional impactam no seu trabalho na prática: relatando o seu processo e tomando decisões visuais que te representem.

Victória Molgado

Escrito por

Victória Molgado

Victória Molgado é product designer na VTEX e já trabalhou em empresas como Descomplica e Trinks.com.